CAPA     NOTÍCIAS      FOTOS     VÍDEOS    CLASSIFICADOS    CONTATO

        

Categorias
 

Grupo suspeito de cometer fraudes bancárias e desviar R$ 100 milhões é preso em Goiás

Foto:Divulgação/Bope

 Após seis meses de investigação, cinco homens acabaram presos ontem, 2, em Goiânia, por militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Eles são suspeitos de integrar uma organização criminosa que atuava no ramo de fraudes bancárias na capital. A corporação acredita que o grupo chegou a desviar cerca de R$ 100 milhões ao longo de 2016, com boletos bancários falsos e cartões de crédito clonados.

Segundo o Bope, as fraudes eram realizadas através de cartões clonados, boletos bancários e com a falsificação de precatórias da união, ou seja, documentos que comprovam déficits do governo federal que devem ser pagos para pessoa física ou jurídica. Além disso, os criminosos também falsificavam autorizações da Justiça Federal para que as precatórias fossem liberadas. Com estes documentos em mãos, o grupo usava contas de laranjas para receber os depósitos que automaticamente eram distribuídos entre os integrantes.

A corporação informou que os homens eram monitorados há quase seis meses e neste período realizaram transações bancárias com valores altos. No momento em que foram detidos, eles preparavam mais uma transferência de R$ 6 milhões. Com o grupo, foram encontrados 100 cartões clonados, além de boletos falsificados.

Organização Criminosa

As investigações apontam que o grupo mantinha um caderno de anotações onde era registrado quanto cada um lucraria em cada transação. Segundo a polícia, três dos suspeitos eram responsáveis por conseguir os dados, geralmente de pessoas já mortas, detidas ou muito humildes, para clonar os cartões e criar as contas laranjas.

Após a coleta desses dados, outro integrante ficava responsável por emitir os boletos, precatórias e falsas autorizações da Justiça. O último integrante estaria envolvido por facilitar a abertura de contas com os documentos falsos, além de executar as precatórias fraudadas. Este, identificado como Thiago Augusto Javob, era gerente de uma agência do Banco do Brasil.

Os outros quatro detidos são: Igor Djalma Shimitel Menezes de 38 anos, Albany dos Santos de 37, Dawisdam Simarone Freitas de 35 e Vanderson Ramos do Amaral de 38, que é morador do Pará e alegou estar em Goiânia deste a última sexta-feira, 30.

A assessoria de imprensa do Banco do Brasil informou através de nota, que o gerente envolvido no esquema, já estava afastado do cargo desde o dia 30 de dezembro de 2016. A instituição ainda acrescenta que “colabora com as investigações da polícia e já está adotando todos os procedimentos cabíveis em relação ao caso”.

O grupo foi encaminhado para a sede da Polícia Federal em Goiânia e as investigações seguem para apurar se há mais envolvidos no esquema.

Fonte: Diário da Manhã 

 

 

 

Aporé em Foco |  Todos os Direitos Reservados, Lei de Imprensa, nº 5.259/1967.